Dez dicas (de ouro!) para defender o PT nas redes sociais


abertura

Sim, você leu direito!

Muita gente gosta de defender o PT nas redes sociais, por ser PTista, por odiar o PSDB, por receber dinheiro do governo para não trabalhar ou por qualquer outro motivo que seja. Se você é um desses, não perca tempo me criticando e aproveite as dicas. Todas elas foram extraídas de debates que eu tive com petistas. Alguns eu ganhei, outros eu perdi. Mas com todos eu aprendi. E transformo em “conhecimento” para vocês!

 

1 – A negação

Antes de entrar em qualquer briga para defender o PT, você precisa jurar de coração (se preciso, invente que votou em outros partidos nas eleições mais recentes) que não é PTista. Jure até a morte! Fazendo isso, você se veste de isenção. É como defender a legalização da maconha ou o casamento gay: tem mais peso se você não for maconheiro ou gay. Então, regra número zero de qualquer debate nas redes sociais: você não é petista. Repita essa afirmação quantas vezes forem necessárias!

 

2 – É culpa do FHC e do PSDB

Você nem precisa saber o que significam essas duas siglas, basta afirmar até a morte que é tudo culpa delas. Quando disserem que Lula e Dilma faliram a máquina pública, “é culpa do FHC e do PSDB”. Quando criticarem o Bolsa Família, “foi invenção do FHC e do PSDB”, se falaram dos impostos, idem. Se o debate deixar de lado a competência do partido de Lula e Dilma e abordar a vocação prisional do PT (afinal, incontáveis figuras importantes do partido estão ou já foram presos), diga a mesma coisa: “FHC e PSDB eram mais corruptos e não deixavam a Polícia Federal investigar”.

 

3 – É culpa da imprensa

Ahh, essa imprensa traiçoeira, marrom, suja, tucana! Guarde bem esses termos e repita-os com ares apaixonados se a mídia nacional falar mal do PT. No entanto, se for a mídia internacional, os termos são outros: “mídia imperialista!”, “jornais vendidos às grandes corporações!”. Se o debate apertar, apele até para os Iluminatti e Maçonaria! “São os Iluminatti e a Maçonaria controlando a mídia mundial e querendo dominar o povo brasileiro!”.

 

4 – É culpa do STF

Você também não precisa saber o que significa STF, mas pode por a culpa neles a cada vez que o japonês da Federal prender um petista. Diga que o STF é ultrapassado e que é escolhido do mesmo jeito desde o século desde o século 19 e que é mil vezes mais prejudicial que políticos corruptos e/ou incompetentes. Se o debate apertar, repita o procedimento do tópico acima e apele para os Iluminatti e Maçonaria!

 

5 – É culpa dos empresários

Quando alguém colocar a culpa no PT pelo alto índice de mortalidade de empresas de todos os portes e da consequente redução da oferta de vagas de emprego, ataque os empresários! Diga que os empresários brasileiros são incompetentes, conservadores e ultrapassados e volte a por a culpa nas siglas FHC e PSDB, alegando que eles não ofereceram condições para o setor produtivo se consolidar. O dólar nas alturas? Mesma coisa: culpa dos empresários, especuladores hipócritas e inescrupulosos.

 

6 – Prepare-se

Mantenha por perto e com fácil acesso, dados de comparação do Brasil pós-2002 com o Brasil pré-2002. 99% de quem critica o PT o faz porque sente a vida piorando, mas não sabe exatamente por qual motivo isso acontece. Ou seja, estão despreparados para o debate! Compare índices de inflação, desemprego e se possível, diga até quantos litros de gasolina o atual salário mínimo pode comprar. Se o adversário insinuar a desconfiança do mercado internacional, que reduz a quantidade de dinheiro em circulação no país, ataque, diga que os empresários geradores de emprego são a “elite branca burra” e abuse dos termos “imperialismo” e “o povo”. Se mesmo assim você for encurralado pelos argumentos do oponente, diga que em momento algum você afirmou que o país está bom nos dias de hoje.

 

7 – “Crise, que crise?”

Negue que exista crise! Pessoas shoppings, viajando de avião, curtindo a praia, comprando chocolate na Páscoa, presentes no Natal, assistindo a shows de rock, jogos de futebol e comprando mercadoria contrabandeada no Braz são indicadores – muito – confiáveis de que não existe crise! Abuse desses indicadores! Se alegarem o crescente endividamento da população, diga que a culpa é do povo que não sabe administrar seu dinheiro, não do PT que aumentou irresponsavelmente a oferta de crédito. Vá além, diga que esse aumento irresponsável da oferta de crédito foi uma ação para dar liberdade econômica à população. Se alguém disser que ficar endividado pagando juros exorbitantes não é ter liberdade econômica, volte a por a culpa no povo e gere um círculo vicioso na argumentação.

 

8 – Acabou a pobreza!

A classe média é a que mais reclama da queda no padrão de vida. A esses, diga que eles eram burgueses esbanjadores. A conta de luz está nas alturas? Economize! Não consegue abastecer seu carro? Você é rico porque tem carro! Não consegue pagar escola particular? Para que escola particular? A escola pública é ótima! Contraponha a opinião dessas pessoas com os milhões de brasileiros abaixo da linha da miséria que o PT diz (concorde com o PT!) que o Bolsa Família tirou da pobreza! Faça com que a classe média (que você sempre deve chamar de burgueses ou coxinhas) sinta vergonha por – ainda – ter dinheiro para comprar comida!

 

9 – Anule os outros partidos!

Quem não é petista, é tucano! Não interessa se o outro debatedor votou no PV de cabo a rabo, ou no Levy Fidelis. Se ele não concorda com o PT, ele é tucano. Os outros partidos não existem e mesmo quando eles apoiam o PT (como é o caso do PMDB), tudo que eles fizerem contra o governo, fizeram porque são tucanos ou por influência do PSDB. Imediatamente após alguém criticar o PT, responda com uma crítica ao PSDB e dê sequência ao debate abusando dos tópicos 1, 2 e 3.

 

10 – Enalteça os resultados… dos outros

Tudo o que se faz, se faz em busca de um resultado. Inclusive o PT. O partido tem origem na escalada comunista de meados do século 20 e mantém muito dessa filosofia no governo. Sendo assim, execre a desigualdade social e diga que o PT está reduzindo isso. Cite exemplos de outros países que são ou já foram comunistas, como Cuba e Rússia, onde, realmente, a desigualdade é pouca: todo mundo é pobre ou miserável! Nesses países, praticamente não há ricos, a não ser os que se enriquecem às custas da corrupção da máquina pública. Igualzinho o Brasil de daqui alguns anos se o PT continuar no poder. Se alguém lembrar das sanguinárias ditaduras impostas nessas nações, evoque os ideais comunistas e glorifique “a todos que deram seu sangue por um mundo mais igualitário”.

 

Bons debates e boa sorte!