Os Piores do Ano


Os mais ridículos do Brasil em 2015!

capa.jpg

A primeira definição de “Ridículo” é “o que provoca riso, escárnio ou zombaria”. O Brasil é ridículo por sua própria natureza. Ano após ano, do gigante adormecido desperta o anão subdesenvolvido, seja econômica, intelectual ou moralmente.

Ouvimos muito “Fora Dilma!”, “Fora PT” de gente que fura a fila, estaciona na vaga de deficiente e rouba sinal de TV a cabo sem o menor pudor. Sim, o pior do Brasil é o brasileiro e foi para explorar esse ridículo original que nasceu a coluna Piores do Ano, que na sua primeira publicação, em 2014, já deu bastante repercussão.

Como era de se esperar, na sua capacidade de ser ridículo, o brasileiro se superou e 2015 foi um prato cheio! Tanto é que só consegui publicar este texto faltando poucas horas para terminar o ano e a briga pelas primeiras posições foi dura. Este ano foi tão ridiculamente excepcional que o campeão do ano passado, Jair Bolsonaro (a quem chamo carinhosamente de Bolsonóia) não foi capaz de ficar entre os dez primeiros.

Sem mais delongas – preparem suas lágrimas e suas risadas – os Piores de 2015!

 

 

10º lugar –Campeonato Brasileiro

686012870

O Corinthians joga um belíssimo futebol. Tite é o melhor técnico do Brasil na atualidade.

Isso posto, o 10º lugar da lista vai para o Campeonato Brasileiro de 2015, que vai entrar para a história como o mais suspeito desde 2005, quando o campeão foi (oops) o Corinthians. Para se ter uma ideia do quão ridículo foi esse Brasileirão, até Flamengo e Fluminense, historicamente favorecidos pelos “erros” de arbitragem, terminaram temporada reclamando da arbitragem.

E por falar em “erros”, curioso observar que quase todos tenham favorecido justamente a quem? O Corinthians. O engraçado é que depois vem a CBF e coloca os árbitros na geladeira, como se ela própria não tivesse nada com isso. Teve rodada que terminou com cinco (isso mesmo, cinco) afastados por “erros” a favor do Corinthians ou “erros” e contra equipes que, na ocasião, poderiam ameaçá-lo na tabela de classificação.

Foi tão ridículo que até a Konami entrou na brincadeira. No lançamento da versão demo do PES 2015, publicou em sua página oficial o layout com os seguintes dizeres: “A demo caiu na live… pênalti para o Corinthians!”. Alias, o termo “pênalti para o Corinthians” foi um dos mais buscados no Google neste ano!

Entre tantos “erros” a favor do Corinthians, meu preferido foi esse contra o Sport, com menção honrosa para o pênalti marcado contra o Santos, no segundo turno.

E o você? Qual foi o seu “erro” preferido a favor do Corinthians neste Brasileirão? Tem pra todos os gostos: além de pênaltis a favor tem pênaltis contra não marcados, gols impedidos validados e gols legítimos (contra) anulados. Escolha o seu!

 

9º lugar – Alckmin sigiloso

alckmin

Porra Chuchu! O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nunca ouviu a piada “quem peidou está com a mão amarela”. Foi lá e mostrou sua mão amarela. Havia uma leve desconfiança de que o Governo do Estado havia falhado em uma série de obras do metrô. Aí o bonitão acabou com a desconfiança e decretou sigilo de 25 anos! Seria o jeito tucano de fazer o mea culpa? Patético. Depois ele “desdecretou” o tal sigilo, pra selar a piada com chave de ouro. Ou de gás metano.

 

8º lugar – Ditadura de cintura mole!

obiang

Jogo do bicho é para os fracos. Tráfico de drogas? Para os comuns. A onda agora é ter desfile de escola de samba com “investimentos” de governos ditatoriais, em outro episódio tupiniquim ridículo com qualidade internacional.

Teodoro Obiang, além de ditador na Guiné Equatorial, África, há mais de 30 anos, é investigado por lavagem de dinheiro. Esse é o principal investidor da Beija-Flor, campeã do carnaval carioca em 2015.

Enquanto a galera sambava aqui com o dinheiro do gringo, pouca gente sabia, os R$ 10 milhões que ele injetou é pequena parte do que ele se apodera, sistematicamente, há décadas, com a potência do petróleo do país, o maior produtor da África sub-saariana. O povo? Pobre, é claro, e reprimido, como em qualquer ditadura (de direita, de esquerda, é tudo ditadura) que se prese.

Detalhe, a Guiné Equatorial está entre os países mais corruptos do mundo. Pensando bem, é a cara do Brasil. Ou melhor, o Brasil é a cara do Obiang! Em 2016, Coreia do Norte na Sapucaí! Ou até – quem sabe? – Estado Islâmico!

7º lugar – Protestar a favor!

protesto pro dilma

E no Brasil das bizarrices cotidianas, isso realmente aconteceu! Milhares de pessoas foram às ruas protestar a favor (isso mesmo, protestar a favor!) da presidente Dilma. Os protestadores aproveitaram a oportunidade para demonstrar o quanto são inteligentes e dizer que eram a favor do governo, mas contra o aumento sistemático do bolo tarifário nacional, imposto pelo governo. Se isso é ser a favor…

Nesses protestos também rolou outro ridículo, menor que o próprio protesto, mas digno de nota: o flagrante da distribuição de pão com mortadela para os participantes. Se tivessem distribuído coxinhas, pelo menos, seria um ridículo mais criativo.

 

6º lugar – Mariano Morrison

munhoz_e_mariano_luis_germano2_materia

O “cantor” (?) Mariano, da dupla Munhoz e Mariano, comparou o lixo que eles fazem e chamam de música com nada mais nada menos que Jim Morrison, líder da banda The Doors. Sem novidade, aliás, é uma afirmação comum para “artistas” (?) deste nível intelectual. Vale lembrar, Pe Lanza, líder da banda (?) Restart já afirmou que eles eram os Beatles dos anos 2000.

Mariano, aliás, sempre foi um prato cheio para o ridículo. Em 2012 ele fez um show em São José do Rio Preto usando uma fralda geriátrica e conseguiu desagradar até os seus próprios fãs. E olha que pra ser fã disso não é preciso ser muito exigente, intelectualmente falando. Ridículo, com um R bem grande!

Outra aparição patética digna dessa dupla foi em 2014, quando deram uma de “vida loka!” e postaram uma foto com armas nas redes sociais.

Já ouviram a expressão “burro como uma porta”? Poderíamos aproveitar que o cara se comparou a Jim Morrison e sugerir que mudem o nome da dupla para “Os Portas”.

 

5º lugar  – MC Chico Buarque!

chico-buarque1

Ano passado, Chico Buarque esteve nos Piores do Ano, fazendo contrapeso a Lobão. Neste ano ele volta, sozinho, com uma pérola digna de quem cozinhou os neurônios de tanto fumar maconha. No documentário “Chico: artista brasileiro” (que há anos mora na França, diga-se de passagem), diz que MPB e Bossa Nova foram gêneros impostos pela elite dominante e que a música hoje “não responde mais às imposições culturais de uma minoria rica”. Na mesma frase ele diz que a música hoje representa, realmente, o país.

Traduzindo: o país é uma bosta, por isso a música é uma bosta.

Pensando bem, eu concordo! Só acho ridículo porque ele próprio, Chico, é fruto da MPB e Bossa Nova. Como é possível alguém que tanto combateu a Ditadura, ser uma imposição da elite dominante, ou esja, da Ditadura?

No mesmo documentário ele diz que “entende mais de literatura do que de música”. Eu não duvido. Mas tenho três livros dele na minha biblioteca particular e não tenho coragem alguma de ler. Outra coisa da qual não tenho coragem de me aproximar é esse tal documentário. Sem ver, desaconselho.

E desaconselho qualquer um a pedir a opinião do Chico sobre qualquer coisa. Deixa o cara em paz, ‘de fumer du pot, en France’.

 

4º lugar – Dilma oradora!

download

Confesso que achei que 2015 estava no papo! Ninguém seria capaz de ser mais ridículo que Dilma discursando e eu só teria que decidir (ainda assim, seria uma decisão difícil) se seria o discurso da mandioca, da arca de Noé ou da estocagem de vento! No entanto, a partir do final de outubro, os três primeiros colocados – que você vai conhecer a seguir – se superaram e demonstraram a capacidade que o Brasil tem de ser ridículo.

A Dilma discursando é algo realmente patético. Tão patético que, apesar do quarto lugar, merece o título simbólico de campeã moral. Mas mesmo sua capacidade de ser ridícula com o microfone aberto não foi o suficiente para colocá-la no Top 3 do que de mais ridículo aconteceu no Brasil em 2015. Patético e lamentável.

 

3º – A carta do Temer

michel temer

Salvo raríssimas situações, o vice, na política, não serve pra nada. E quando o vice, (prefeito, governador ou presidente) aparece, é sinal de problema. Pois bem, Michel Temer (PMDB), não foge a essa regra. No começo de dezembro, o camarada resolveu escrever uma carta para a presidente Dilma demonstrando todo o seu acesso de carência.

Antes, quero registrar um aparte para o tamanho do ridículo que é a situação do PMDB que, em pouco mais de 20 anos, “evoluiu” de partido símbolo da resistência à Ditadura à condição de principal prostituta eleitoral do país, coligando com qualquer um em qualquer esfera em troca de cargos. Nessa caminhada, encontrou no PT seu principal cliente, afinal o partido controla desde 2003 o principal executivo do país. Pagou, comeu.

Voltando à tal carta, escrita cinco dias depois da abertura do processo de impeachment da Dilma, Michel Temer reclama de desconfiança, de desprezo, ou melhor, menosprezo, e tantas outras baboseiras que mereceria um texto de dez tópicos sobre ridículo só pra ela.

Depois, ainda por cima, o cara disse que “se surpreendeu” com a divulgação da carta. Isso porque, no mesmíssimo dia, usou a conta oficial da vice-presidência no Twitter (e cabe aqui um questionamento: por que a vice-presidência precisa de uma conta oficial no Twitter, ou em qualquer outra rede social?) pra dizer exatamente a mesma coisa. Lavação de roupa suja, barraco digno de Big Brother Brasil em noite de balada com bebida alcoólica. Patético presidencial. Ou melhor, vice-presidencial.

 

2º lugar – Delcídio ‘Corleone Capone’ Amaral

Delcídio-Amaral

Tá certo que o Brasil é a casa da Mãe Joana, o país da piada pronta. Mas o senador Delcídio do Amaral (PT) – líder do governo Dilma no Senado – abusou da capacidade de ser ridículo por achar que somos uma pátria tão sei lei. Eis que, durante a revoada de penas na briga de comadres entre PT e PMDB, o cara assistiu Os Intocáveis, o Poderoso Chefão e pensou que era um híbrido pós-moderno de Don Corleone e Al Capone!

O camarada simplesmente fez uma reunião com o filho de Nestor Cerveró, mais famoso pela fisionomia, digamos, singular, do que pelas improbidades que cometei quando era executivo da Petrobrás, e se propôs, descaradamente, a articular a fuga do feioso para o exterior durante um possível indulto de Natal (e você achando que é perigoso soltar traficantes!) para que ele não entregue a alta cúpula do governo para a Polícia Federal.

Cerveró está preso e em processo de delação premiada e que deve entregar um monte de patifada do Governo Dilma na famigerada “compra” de uma refinaria em Pasadena, no Texas.

Com uma coisa Delcídio não contava: é melhor estar preso do que morto! Afinal, para o PT, Cerveró vale mais calado do que falando! Com essa convicção – e lembrando do caso da morte do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em que todos os envolvidos e testemunhas morreram “acidentalmente” –, o filho de Cerveró gravou a reunião, de onde saiu e foi direto entregar a gravação para a Polícia Federal. Resultado? Preso por atrapalhar as investigações. Bem que poderia ser preso por ser excessivamente ridículo.

 

1º Lugar – Eduardo Cunha Eterno!

download (1)

“Depositaram R$ 5 milhões na minha conta para me prejudicar!”. Sejam honestos: qual discurso da Dilma pode chegar a esse grau de ridículo? Ridículo com todas as honras, um patético tão grande que faz o campeão do Piores 2014, Jair Bolsonaro (PP), parecer um lorde inglês.

Essa afirmação foi do (por enquanto) presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB) e só por ela, já poderia garantir o título de Ridículo do Ano. Os tais R$ 5 milhões seriam frutos de propinas pagas a ele para facilitar a patifada que fizeram com a Petrobrás. Ele também é investigado por lavagem de dinheiro.

Como essa lista de ridículos só leva em conta o que o cara fez ao longo do ano, vou citar, mas não considerei, que ele foi presidente da Telerj durante o governo Fernando Collor de Mello (indicado por ninguém menos que PC Farias).

Além da patética frase que o garantiu no topo desta lista de ridículos, Cunha também usou da sua posição de presidente do Legislativo Federal para “apressar” a votação de projetos patéticos de seu patético interesse, como a PEC 99/2011 que às igrejas o direto de contestar as decisões do Supremo Tribunal Federal e o Projeto de Lei 7382/2010 que criminaliza a Heterofobia (seja lá que raios isso for).

Vale lembrar, Cunha só foi eleito presidente da Câmara porque tem o apoio da base governista (graças ao meretrício eleitoral do PMDB, destacado no tópico relativo a Michel Temer) mas quando viu o cerco da Polícia Federal se fechando pra cima do PT, virou a casaca sem o menor puder e se tornou um “justiceiro”, se valendo do seu cargo e aproveitando todas as oportunidades para prejudicar o partido da presidente.

Para coroar com maestria a potência de ridicularidade que demonstrou ser, Eduardo Cunha fez chantagem abertamente contra o seu cliente, o PT. Investigado na Lava Jato e acusado de mentir na CPI da Petrobrás, viu aberto contra si um processo de cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar e, sem a menor cerimônia, disse que se o PT desse andamento a esses processos, ele, por sua vez, faria sair do lugar a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma.

Enfim, ridículo homérico, colossal e de proporções bíblicas! Título mais do que merecido!