Análise da primeira lista de Felipão na volta à Seleção


felipão coletiva

 

 

 

A lista:

 

GOLEIROS
Diego Alves (Valencia)
Júlio César (QPR)

LATERAIS
Daniel Alves (Barcelona)
Felipe Luis (Atletico de Madrid)
Adriano (Barcelona)

ZAGUEIROS
David Luiz (Chelsea)
Leandro Castán (Roma)
Dante (Bayern de Munique)
Miranda (Atlético de Madrid)

VOLANTES
Arouca (Santos)
Ramires (Chelsea)
Paulinho (Corinthians)

MEIAS
Hernanes (Lazio)
Lucas (PSG)
Oscar (Chelsea)
Ronaldinho Gaúcho (Atlético-MG)

ATACANTES
Neymar (Santos)
Hulk (Zenit)
Luis Fabiano (São Paulo)
Fred (Fluminense)

 

 

Na tarde desta terça-feira 22, Felipão convocou pela primeira vez desde que voltou à Seleção Brasileira. São 20 nomes na lista, entre velhos conhecidos e algumas surpresas. Nomes que já estavam com a Amarelinha com Mano Menezes continuam, mas pela coletiva que ele está concedendo neste momento (a postagem começou a ser escrita às 15h), não dá para se falar em titulares, mas muita gente já imagina como o time pode jogar.

A reestreia do comandante campeão em 2002 está marcada para o dia 6 de fevereiro, em Londres, contra a Inglaterra. Uma das coisas que Felipão deixou implícito é que ele quer vencer o jogo. Por isso, a maioria dos jogadores da lista está no futebol europeu, que está no seu ápice, a 90 dias do final da temporada.

Felipão não fala sobre ausentes, mas já dá pra considerar a volta de nomes de fora dessa lista, os casos de Kaká e Marcelo, no Real Madrid. O primeiro não está no auge de sua forma física, o segundo não vem jogando. Alexandre Pato está nos planos. Tudo isso implícito.

Menos implícito, mas nem tanto, é o possível “onze” que entra em campo contra a Inglaterra. Quem conhece a forma Felipão de escalar (o caso da torcida do Palmeiras) já consegue imaginar quem podem ser os titulares e de que forma vão se portar em campo.

Minhas apostas:

 

 

Gol

 

Julio Cesar.

Titular na Copa de 2010, o goleiro faz coerência com o discurso inicial do treinador de aumentar a média etária da Seleção Brasileira. Pode não ser o melhor goleiro brasileiro em atividade, mas também não está muito abaixo – tecnicamente falando – dos outros jogadores da sua posição.

 

Laterais

Daniel Alves é um dos melhores jogadores do mundo da sua posição na atualidade. Foi bem na Copa de 2010 mesmo jogando fora de posição, na maior parte do tempo. Titular absoluto do Barcelona, tem muito a acrescentar ao time de Felipão. Inclusive, é candidato a ser o famoso “homem da bola parada”, que o treinador mantém em toda equipe por onde passa.

Adriano, não por acaso companheiro de clube de Daniel Alves, como também não por acaso, é um dos melhores da lateral esquerda na atualidade. Se valendo do entrosamento e da vontade declarada de Felipão de ganhar o jogo, apostar no lateral do Barcelona como titular é praticamente uma barbada.

 

Zaga.

É uma incógnita. Durante a sua coletiva, Felipão falou bastante sobre Dante e sua boa temporada no Bayern de Munique. Leandro Castan ainda não foi bem na Seleção, mas as duas partidas contra o Boca Jrs, na final da Libertadores, certamente instigam o treinador.

Mas David Luis, em alta no Chelsea, e Miranda, titular do Atlético de Madrid (que há dez jogos não toma gols na Liga Espanhola), corroboram com a vontade do técnico de ganhar o jogo. Como estou apostando, aposto nesta dupla.

 

Volantes

Paulinho é unanimidade entre os analistas esportivos de qualquer lugar do mundo. Ele deve ser o jogador de base do meio defensivo de Felipão. O técnico gosta de jogar com um volante fixo e outro que sabe sair jogando, mas também disse que tem que dançar conforme a música, e se adaptar à forma como jogam os melhores jogadores brasileiros da atualidade. Com isso, aposto em Ramires como  companheiro do corintiano na meia defensiva.

 

Meias

 

Felipão vai escalar dois meias, sim senhores. Mas vai ser como sempre: um encostado nos atacantes e promovendo a movimentação da zaga adversária, outro mais recuado, ajudando a fechar o meio e trabalhando como válvula de escape em caso de retranca adversária. Por onde passou, foi assim, seja no Palmeiras campeão da Libertadores em 1999 (Zinho recuado e Alex avançado), ou no Palmeiras rebaixado em 2012 (Valdívia avançado, Wesley recuado). Ele tem essa forma de conceber a formação de uma equipe ideal, seja com dois zagueiros, seja com três. Na Seleção Brasileira de 2002, o homem dessa função foi Kleberson.

Isso praticamente garante a presença de Hernanes entre os titulares. Não só neste jogo contra a Inglaterra, mas até o fim da participação brasileira na próxima Copa do Mundo. Aposto nele como o novo capitão e esteio da segunda geração da Família Scolari. A menos que surja algum outro expoente dessa posição.

Essa colocação deixa três jogadores (Lucas, Gaúcho e Oscar) disputando a camisa 10 nessa nova fase da Amarelinha. Quem será este homem na Copa do Mundo em 2014? Difícil dizer. Até porque outros nomes (como Kaká e Ganso) tem condições de se garantir ao longo da preparação. Mas para o jogo de estreia, aposto no Oscar.

Lucas não tem as características que Felipão busca no jogador da posição e Ronaldinho Gaúcho está em pré-temporada. Isso deixa o meia do Chelsea (que aliás, já está na Inglaterra) como franco favorito para a reestreia do comandante pentacampeão.

 

 

primeira lista felipção

 

 

No ataque, não tem jeito, é Neymar e mais um. Felipão não parece disposto a comprar briga com a opinião pública e deixar de fora o jogador mais carismático do futebol brasileiro na atualidade.

Com a diferença – que pode valorizar o futebol da jovem estrela – de que a Seleção vai passar a ter um jogador como referência no ataque. Luis Fabiano, titular da Copa de 2010, e Fred, destaque do último Brasileirão, são nomes mais do que óbvios para este momento. Felipão tem que escolher um dos dois. Eu também só posso apostar em um. Acho que o atacante do tricolor carioca começa no banco, o do paulista veste a 9.