O Tabuleiro – Prólogos do prelúdio – nota 01


criacao-mundo-01

 

Decidida a formatação das peças – inclusive a divisão das quatro cores: branco, negro, amarelo e vermelho – O Construtor pôs-se a criar O Tabuleiro. Era a sua função no jogo, além de intermediar a atuação dos três jogadores, determinar o formato e o comportamento das peças e criar a plataforma de jogo para que elas pudessem interagir e se desenvolver. Era a jogabilidade sendo constituída.

Em um extremo, O Criador determinou a existência de uma estreita faixa de terra, rochosa em boa parte, arenosa em outra, e assolada por terremotos e tsunamis. No outro, a mesma coisa: cordilheiras, solo arenoso, terremotos.

Nas duas pontas, O Tabuleiro foi coberto com gelo. Muito gelo. E foi aquecendo gradativamente a temperatura conforme se caminhava para o centro. Bem no coração daquela enorme bandeja, O Construtor criou uma enorme massa de terras quentes e áridas. À direita deste bloco de terra, foi graduando o clima por toda a superfície e – é claro – pontuando algumas excentricidades, Sua assinatura nessa partida.

Um pouco separado do primeiro bloco criado, O Construtor fez surgir outro generoso pedaço de terra. Este era fértil e rico em recursos, apesar de frio e desolado em seus polos, era cada vez mais belo e agradável conforme se chegava perto do miolo. Colou esse pedaço de superfície à outra fina camada turbulenta de cordilheiras e terremotos. Como particularidade, ventos fortes e rebeldes na parte de cima dessa nova porção de terra.

Finalizou a obra cobrindo boa parte com água e fez as correntes marítimas para possibilitar a interação entre as peças conforme estas avançassem no domínio do Tabuleiro.

– Eis a plataforma de jogo – anunciou O Construtor aos três jogadores.

– Muito bela senhor – elogiou Tacita.

– A plataforma é condizente com a expectativa que temos para o jogo – ponderou Dives.

 

Faltava a opinião de Defero, que segurava o queixo, ainda em silêncio, observando insistentemente O Tabuleiro.

– Sem dúvida que a plataforma tornará o jogo bastante interessante em um curto espaço de tempo – avaliou – mas eu tenho uma observação. Em praticamente todos os lugares do Tabuleiro, existe algum obstáculo à evolução. Menos nessa faixa – disse, apontando para um canto abaixo da metade do cenário.

– É verdade – concordou, sumário, O Construtor.

– Quer dizer que é de propósito? – questionou Défero – Em algumas regiões, terremotos ou gelo, em outras, terra árida e tempestades de vento. Mas aqui – voltava a marcar o canto de terra -, aqui não. Aqui tem praias lindas, recursos naturais e minerais abundantes, vegetação exemplar, diversidade de vida das peças menores. Não existe nenhum impeditivo ao crescimento.

– Calma – concluiu O Construtor – espere para ver a qualidade das peças que eu vou por nesse lugar.