Festa sem álcool


A seco ou a péEm terra de gente que enxerga demais, toda cegueira é bem vinda. Além de piadas, também sou um excelente criador de ditados populares. Este vem para ilustrar a relevância da “nova” Lei Seca para o final de ano em Lençóis Paulista.

A seco ou a pé
Em terra de gente que enxerga demais, toda cegueira é bem vinda. Além de piadas, também sou um excelente criador de ditados populares. Este vem para ilustrar a relevância da “nova” Lei Seca para o final de ano em Lençóis Paulista.

 

 

FICAR SÓBRIO para dirigir não vai adiantar muito. Vide o resultado do trânsito ao longo do ano. A solução de fato é encher a cara e sair a pé. Não só nesse final de semana de festas, mas, no ano todo.

 

ISSO MUDA O CENÁRIO da cidade. Sai o trânsito confuso, engarrafado em alguns pontos, entra uma orla de bêbados caindo pelas ruas, mas sem levar perigo a ninguém. Eu apoio!

 

NA RETRÔ dos principais micos do ano, destaque para Guido Mântega, ministro da Fazenda, errando feio a previsão do PIB (Não sabe o que é PIB? Vai pesquisar!) para 2012. Pela matemática do cara, se a economia mundial fosse bem, a arrecadação do país ficaria entre 4,5% e 5%. Se o mundo fosse mal, ficaria em 4%. O resultado na prática: 1,5%. Algo – além das contas do ministro – deu muito errado.

 

SE FOSSE NA escola, seria reprovado em Matemática. Ops! Seria nada, este é o país da progressão continuada.

 

OUTRO FATOR político importante de 2012 é a definição do PSDB em torno do nome de Aécio Neves para disputar a Presidência da República em 2014. Será que, quase 100 anos depois, os mineiros estão tentando reverter o resultado da Revolução Constitucionalista?

 

E O ANO DE 2012 nem terminou e eu já estou com saudades. Isso porque, junto com 2013 – e as contas normais do começo do ano – chegam o reajuste no aluguel e o aumento dos preços da gasolina, entre outras facadas no consumidor. É para se pensar na hora de comer as sementes de romã.

 

E HÁ PELO menos dez anos existe um debate entre os pessimistas, que juravam que o mundo acabaria em cataclismos no dia 21 de dezembro, e os exotéricos otimistas, que alegavam que a data seria a abertura de uma nova era para a humanidade.

 

NO FIM, nem uma coisa, nem outra. O mundo não acabou e – pelo menos por enquanto – o ser humano continua a mesma porcaria de sempre.