Comunicadores: soldados de um mundo melhor


Chuva de ursos de pelúcia enfraquecem ditadura em Belarus

Logo na primeira aula da faculdade de Jornalismo o professor me disse. “Aquela conversa de mudar o mundo? Esqueçam!”

Medíocres. O professor e a faculdade. Mudar o mundo, em maior ou menor escala, é a função primordial de qualquer comunicador que se preza.

Alguém conhece Belarus, nação que compunha a União Soviética? O número de pessoas que respondeu essa pergunta negativamente caiu de forma significativa depois de um protesto realizado por uma agência de publicidade sueca para o grupo pró-democracia Charter 97.

No final de julho, um avião partiu da Lituania e lançou ursos de pelúcia de paraquedas sobre o país que ainda vive na cortina de ferro da finada União Soviética, provocando a demissão de dois generais de alta patente. Os bichos traziam consigo mensagens pró-democracia.

Como? A agência Studio Total simplesmente comprou um violão e seus publicitários aprenderam a pilotá-lo. Isso porque nenhum piloto profissional aceitou fazer a viagem. Por motivos óbvios. Invadir qualquer espaço aéreo é sinal de problemas. Invadir o espaço aéreo de um país que vive sob ditadura com um avião de pequeno porte é quase pedir para ser abatido.

A agência publicou uma nota oficial sobre o fato:

“A campanha inteira foi paga pelo Studio Total. O avião que usamos é nosso e foi pilotado por nós. Nós não apoiamos a violação de leis internacionais. Mas quando é por uma causa justa, a única lei que se deve seguir é a do coração.”

O vídeo da ação está no You Tube:

A KGB, polícia repressora soviética, ainda existe em Belarus. Ela convocou três integrantes da agência de publicidade que participaram da ação – Hannah Frey, Tomas Mazetti e Per Cromwell – para dar explicações sobre o que o país chamou de “invasão ilegal”.

A resposta dos publicitários? É a resposta que se deve dar a qualquer governo ditador, dizer “não tenho medo de você”. Eles convidaram Alexander Lukashenko, ditador de Belarus, a discutir a manifestação em uma conversa direta. Em Estocolmo, capital da Suécia.

Assim se enfraquece a última ditadura que reina no coração da Europa.

Alexander Lukashenko, a propósito, não se parece com uma figura nefasta da história da humanidade?

Ajudei a responder?