Metade já foi: quem é quem no Brasileirão 2012


Análise time a time mostra o que cada equipe pode esperar da segunda metade do Campeonato Brasileiro. 

Terminou hoje a primeira metade do Campeonato Brasileiro. Em todo começo de temporada, os analistas esportivos gostam de fazer suas considerações, que antes da primeira rodada, são meras apostas. A partir de agora, com 19 rodadas completas, a coisa muda de figura. Entre outras respostas, já dá para dizer, inclusive, quem briga para vencer e quem briga para não cair.

Duas equipes brigam pelo título

Com elencos balanceados e esquema tático definido, ambos tem sete pontos de vantagem para o terceiro colocado

Atlético Mineiro
Acostumado nas últimas temporadas a brigar para não cair, o Galo Mineiro surpreendeu muita gente na largada do Brasileirão 2012. E continua surpreendendo a cada rodada. Durante o primeiro turno, a equipe comandada pelo técnico Cuca teve que vencer, além dos adversários, a desconfiança do torcedor e da mídia esportiva. Até agora vem dando certo. Com um jogo a menos e no topo da tabela, é time recordista em pontuação na era dos pontos corridos.
Destaque: Ronaldinho Gaúcho abandona o rótulo de principal jogador e desempenha um coadjuvante de luxo para um elenco que tem se demonstrado ser dos mais equilibrados e homogêneos do país até agora.

Fluminense
Nos últimos anos, o Tricolor das Laranjeiras tem flertado com o topo da tabela. Dessa vez, tudo indica que o flerte vai virar namoro. A equipe comandada por Abel Braga certamente tem o melhor e mais completo elenco do Brasil. Com um jogo veloz e agressivo na linha de frente e uma composição defensiva taticamente disciplinada, o Flu tem assinado as melhores partidas do campeonato.
Destaque: Hostilizado no começo, inclusive amargando um período na reserva, Diego Cavalieri caiu de vez nas graças do torcedor do Flu, que hoje o chama de “O melhor goleiro do Brasil” e “São Diego”. Com atuações seguras e defesas importantes, o discípulo de São Marcos é peça chave no sucesso do Tricolor carioca.

Cinco equipes disputam duas vagas na Libertadores

Na rabeira do bloco de elite, elas jogam de olho na classificação 

Vasco
Bem atrás de Fluminense e Atlético, o Vasco abre a linha de times que precisam segurar as posições que tem. Longe de jogar um futebol bonito e ainda sem ter encontrado sua melhor formação, o time de Cristóvão Borges vive da regularidade de seus jogadores mais experientes para conseguir marcar pontos com frequência e ficar bem na tabela.
Destaque: Convocado com frequência por Mano Menezes, tem mostrado em campo porque é um jogador com grandes chances de disputar a Copa do Mundo de 2014. Atento e tranquilo, Dedé tem sido o ponto de segurança da defesa vascaína no Brasileirão.

 


Grêmio
Outro exemplo de time que vai pensar mais em garantir as colocações atuais do que brigar pelo título. O principal diferencial do Grêmio de Wanderley Luxemburgo é – quem diria? – o preparo físico. De todos os gols marcados até agora no Brasileirão, 70% acontecem no segundo tempo.
Destaque: Experiência, qualidade técnica e a moral de ter sido um dos 11 titulares da seleção do Penta. Essas são armas de Gilberto Silva para liderar o elenco gremista, que ainda tem outros dois jogadores (Zé Roberto e Elano) com copas no currículo.

 

Internacional
Com um bom elenco, mas longe de encontrar a unidade que transforme esse conjunto de jogadores em uma equipe, o Colorado gaúcho aposta na busca pela identificação do plantel com a torcida. Ídolo do passado, Falcão não atingiu as metas, que parecem mais fáceis para Fernandão, ídolo recente.
Destaque: Diego Forlan é o jogador que mais vestiu a camisa da seleção Uruguaia e eleito o melhor jogador da Copa do Mundo de 2010. Currículo que hoje está à disposição do Inter, que tem mais jogadores experientes em Copas, como o lateral Kleber e o zagueiro pentacampeão em 2002, Roque Junior, além de Leandro Damião, concorrente sério a uma vaga em 2014.

 

São Paulo
Longe de ser o Tricolor Absoluto de temporadas passadas, a equipe comandada por Ney Franco, aos poucos, encontra a formação ideal e o caminho do bom futebol. Ao seu favor, tanto equipe quanto treinador tem o fato de conseguir trabalhar bem com jovens talentos, logo, tudo pode acontecer a qualquer momento.
Destaque: Ele ainda não sabe se é atacante ou meio-campista. Fato é que, independente da posição que é escalado, o jovem Lucas é uma das principais apostas do torcedor sãopaulino para a temporada 2012. O time ainda tem Luiz Fabiano, titular da Seleção na Copa de 2010, e Rogério Ceni, que integrou o elenco brasileiro em duas Copas do Mundo.

Santos
Apesar de estar várias posições atrás do São Paulo, a curta vantagem do Tricolor Paulista em número de pontos faz com que os críticos acreditem uma possível reação do Santos na temporada. O time começou mal o Brasileirão, por ter as atenções voltadas à Libertadores e ainda sofrer com as sucessivas convocações de jogadores para a Seleção. Nas últimas rodadas a equipe de Muricy Ramalho vem encontrando entrosamento e, no auge da capacidade, tem chances de brigar por uma vaga na competição internacional no ano que vem.
Destaque: Neymar ajuda, Ganso também, quando joga. Mas o responsável por dar ao Santos o perfil de equipe vitoriosa é o técnico Muricy Ramalho. Um dos treinadores que mais venceu o Brasilerião, também coleciona títulos internacionais e atualmente, sabe extrair o melhor do sortido elenco da Vila Belmiro.

 

Longe do rebaixamento, longe do sucesso

Oito equipes compõe bloco intermediário, sem grandes riscos de cair, mas sem grandes chances de irem além de uma vaga na Copa Sulamericana

 

Botafogo
Fazer barulho é uma das especialidades do Botafogo. Infelizmente para o seu torcedor, o clube tem melhor desempenho com o marketing que com o futebol. O time da estrela solitária tem um elenco forte mas que, inexplicavelmente, não se encaixa.
Destaque: O goleiro Jefferson é o grande responsável pelo Fogão ainda figurar entre as dez melhores equipes do campeonato. Convocado com frequência para a Seleção Brasileira, é presença quase certa na Copa do Mundo de 2014.

 

Cruzeiro
O celeste mineiro ainda se refaz da campanha desastrosa do Brasileirão de 2011, quando por pouco não foi para a Segunda Divisão. E até que o Cruzeiro junta os cacos com estilo, devagar, porém, de forma sustentável.
Destaque: Tinga é um jogador de vasta carreira internacional e acostumado com situações favoráveis e situações desfavoráveis. O experiente meia, de 34 anos, é um dos principais pontos de referência do Cruzeiro em campo.

 

 

 

Corinthians
Uma grande pré-temporada. Assim o Corinthians do técnico Tite vai encarar a temporada 2012 até o final, quando vai ao Japão disputar o Mundial de Clubes. O Timão vai usar o torneio nacional para encontrar sua melhor formação e garantir outro título inédito ao clube.
Destaque: Nas últimas temporadas, eles tem sido decisivos, marcando gols, criando jogadas ou evitando gols adversários. O futebol do século 21 se rende à importância dos volantes. E o Corinthians tem Paulinho, o melhor brasileiro da posição na atualidade.

 

Náutico
A equipe de Pernambuco entrou para o Brasileirão 2012 com a única e exclusiva missão de não voltar à Série B em 2013. Até agora vem conseguindo isso muito bem, com um elenco eficaz e eficiente, e uma regularidade de fazer inveja a outros times maiores. Assegura uma distância confortável da zona do rebaixamento.
Destaque: Contratado para destruir jogadas, ele surpreende e desponta como um grande criador e finalizador. É Souza, revelado pelo Palmeiras como volante, mas que vem fazendo sucesso no Timbu jogando mais avançado.

 

Portuguesa
Tudo o que a Lusa queria era não repetir a desastrosa campanha do Campeonato Paulista, em que acabou rebaixada à segunda divisão. Depois de uma temporada quase perfeita em 2011, a Portuguesa acorda do sonho e briga para não perder o que de mais importante lhe restou: a vaga na divisão de elite.
Destaque: Ele participou de três copas do mundo e é um dos pentacampeões ainda em atividade. Aos 39 anos, Dida vem mostrando que ainda sabe como jogar no gol e tem garantido a Lusa longe da zona da degola.

 

 

Ponte Preta
É outro time que termina a primeira metade do Brasileirão 2012 com a meta em dia: ficar longe da zona do rebaixamento. Para isso, o time de Campinas aposta na velha fórmula do “bom e barato”. Por enquanto, funciona.
Destaque: Campeão da Libertadores pelo São Paulo em 2005, Roger está de volta ao time que o revelou para o futebol. E sentindo-se em casa, vem dando retorno. É o atual artilheiro da Macaca no torneio, com sete gols.

 

 

Na luta contra a degola

Desorganizados dentro e fora de campo, cheios de desfalques e sem poder de reação: sete equipes preenchem os requisitos de um rebaixado no Brasileirão 2012

Flamengo
À primeira vista, o Rubro Negro da Gávea parece longe da zona da degola. Mas convenhamos, é um time onde qualquer jogador manda mais que qualquer técnico, formado basicamente por garotos das categorias de base e meia dúzia de veteranos que, em algum tempo remoto, já demonstraram algum futebol. Uma sequência de resultados ruins pode desencadear uma crise e jogar o Flamengo entre os quatro últimos.
Destaque: Entre o rio de jovens jogadores utilizados pelo Flamengo no atual Brasileirão, pelo menos um se destaca. O meia Thomás, de 19 anos, foi um dos destaques do time campeão da Copa São Paulo de Juniores em 2011 e já se garante entres os titulares no profissional.

 

Coritiba
O discurso de ter chegado às duas últimas finais da Copa do Brasil não segura mais o Coritiba entre os times mais regulares da temporada. Apesar do bom primeiro semestre, e equipe se desgrenhou nos últimos meses e não consegue mais sair das seis últimas posições, frequentando várias vezes a zona do rebaixamento.
Destaque: O experiente meia Lincoln parece cada vez mais perto do bom futebol que o marcou durante sua longa passagem pela Alemanha. Se conseguir atuar com mais frequência, é um jogador que tem chances de garantir pontos preciosos e dar mais tranquilidade ao Coritiba.

 

Palmeiras
Passar a maior parte do primeiro turno na zona de rebaixamento e ter um time inteiro no departamento médico é o preço que o Palmeiras paga pela conquista da Copa do Brasil. Lesões graves em jogadores importantes como Valdívia, Wesley, Luan e Thiago Heleno, garantem o Verdão entre os quatro últimos nessa primeira etapa. Porém, o bom futebol demonstrado nas últimas rodadas e a gradativa recuperação do elenco deixam o torcedor esperançoso por dias melhores.
Destaque: Ele já foi considerado o melhor técnico do planeta, mas dez anos sem um título importante deram a Luis Felipe Scolari mais um desafio profissional. Voltar ao topo. Apesar do elenco limitado e reduzido, vem melhorando o desempenho da equipe jogo a jogo, e tem totais condições de liderar o elenco rumo ao bloco intermediário e montar um time competitivo para a Libertadores de 2013.

 

Bahia
Mais do que o elenco limitado e o técnico medíocre, o time de Salvador tem mais um problema para administrar: a má sorte. A equipe chegou a ser o time mais ofensivo do Brasil no começo da temporada, mas até a metade do Brasileirão, só fez 14 gols e é o segundo pior ataque da competição.
Destaque: Conhecido pela fase incrivelmente ruim que teve durante sua passagem pelo Corinthians, Souza vem afastando as vacas magras. Apesar do pouco rendimento ofensivo do time, ele sempre deixa os dele, e já tem 23 gols nessa temporada.

 

Sport
Foi o time que menos marcou gols na primeira metade do campeonato. Nem de longe o atual Sport lembra a grande equipe do passado recente. Outro time que além das próprias limitações, tem que driblar a má fase.
Destaque: Na contramão do resto do time, o goleiro Magrão aproveita a boa fase pessoal. Um dos maiores ídolos da história do clube, o experiente jogador de 35 anos tem evitado que a situação Sport fique ainda pior.

 

Atlético Goianiense
Por muito tempo agonizou a lanterna absoluta da competição. Mas, nas últimas rodadas, parece ter chegado ao seu futebol padrão. A melhora foi suficiente para tirar o Dragão do último lugar, mas ainda não da zona de degola.
Destaque: no Atlético desde 2007, o goleiro Márcio foi com o time da terceira para a primeira divisão. Além de seguro embaixo das metas, também faz gols de bola parada, e tem se destacado como pegador de pênaltis.

 

Figueirense
Chegar à metade do Brasileirão em último lugar é desastroso para o Figueirense, que começou o campeonato falando que ia disputar uma vaga na Libertadores. A equipe se reforçou, mas não conseguiu encontrar padrão de jogo e, de quebra, é a equipe que mais tomou gols na temporada.
Destaque: Ídolo do Botafogo, de onde saiu por falta de espaço, Loco Abreu ainda não se achou no Figueirense. Mesmo assim, é o melhor jogador do elenco e principal aposta do clube catarinense para a recuperação no Brasileirão.