O Saber do Povo


A palavra floclore vem do inglês folk lore, que traduzido, significa “o saber do povo”, ou algo assim…

 

 

Hoje é Dia do Folclore. Para lembrar a data, o Blog do Guirado publica um resumo sobre alguns personagens da mitologia tupiniquim.

 

Boitatá
A lenda indígena que descreve uma cobra de fogo de olhos enormes ou flamejantes e mora no fundo dos rios, é uma das mais antigas da nossa mitologia. O padre José de Anchieta relatou histórias contadas sobre o Boitatá em 1560. O personagem é originário das povoações mais antigas.

 

Boto
Lenda surgida na região amazônica representa um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas, as leva para a beira de um rio e as engravida. Depois mergulha nas águas e transforma-se em um boto.

 

Corpo Seco
Um homem muito cruel, ao morrer, foi rejeitado por Deus e pelo Diabo. Não foi enterrado, porque a própria terra, enojada, vomitou seu corpo. Assim, perambula por aí, todo podre e ainda cheio de ódio no coração, fazendo mal a todos os que cruzam o seu caminho. Há relatos da lenda do Corpo Seco em São Paulo, Paraná, Amazonas, Minas Gerais e na região Centro-Oeste.

 

Curupira
É uma entidade da mitologia tupi-guarani, um protetor das matas e dos animais silvestres, representado por um anão de cabelos vermelhos e compridos, e com os pés virados para trás, que fazem se perder aqueles que perseguem seus rastros.

 

Saci Pererê
Deve ser a lenda mais conhecida do folclore brasileiro e é originária da região sudeste. O Saci Pererê é um menino negro de uma perna só, e, conforme a região, é um ser maligno, benfazejo ou simplesmente brincalhão. Está sempre com seu cachimbo, e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso.