Momento primata…


 

 

Agora, deixando de lado toda a ética jornalística e análise crítica que demanda a crônica esportiva, um momento sem sociologia, puramente antropológico. 

Pois, como todo bom primata, eu também sou filho de Deus… e mereço comemorar!

Avante Palmeiras!

 

Força sempre!