Palmeiras joga mal, mas vence e fica perto da Libertadores


Marcos Assunção é o destaque do Palmeiras

 

Apesar dos pesares, o saldo pode ser considerado positivo para o Palmeiras. O time de Luis Felipe Scolari – que já não tinha Barcos – perdeu também Valdívia, expulso. Jogou mal, criou pouco e foi pressionado pelo Coritiba o tempo todo. Mas garantiu dois gols no pé calibrado de Marcos Assunção e leva uma grande vantagem para o jogo de volta, na próxima quarta, no Couto Pereira, em Curitiba.

Sem Barcos, Felipão optou por manter a referência no ataque e lançou Betinho. Pouco fez, mas fez mais do que se esperava. Segurou a bola na frente quando pode, fez o jogo rodar no ataque quando conseguiu e até sofreu o pênalti cobrado e convertido por Valdívia.

O Coritiba fez jus à condição de favorito. Do primeiro ao último minuto, pressionou o Palmeiras. Só não conseguiu reduzir a vantagem do time paulista graças à incompetência do seu ataque em alguns lances e à grande atuação do goleiro Bruno, que fez pelo menos três defesas difíceis. Ao lado de Marcos Assunção, que cobrou as faltas que deram origem aos dois gols palmeirenses, foi o grande nome do jogo.

Para o jogo de volta, quarta que vem no Couto Pereira, o Coritiba deve contar com a volta do lateral Airton e do atacante Roberto. A presença dos dois reforça o Coxa Branca para o duelo decisivo contra o Verdão.

Já o time de Felipão, que já não contaria com Barcos, principal artilheiro do time na temporada, também não terá Valdívia, expulso no primeiro jogo. Em compensação, o zagueiro Henrique volta e deve dar mais segurança ao problemático setor defensivo palmeirense. Para um time que será campeão se não tomar gols, é uma boa notícia. Sem contar que a torcida já está com suas preces voltadas ao novo candidato à beatificação: São Bruno.